Opções

Ache fácil

São Desidério – revolta contra plano de carreira feito pelo prefeito

 

Plano de Carreira em São Desidério e a ditadura imposta aos professores

 

Plano feito pelo prefeito foi vergonhosamente aprovado pela maioria dos vereadores de São Desidério

 

Na quarta-feira, 31 de agosto, os professores de São Desidério e a sociedade em geral tiveram mais uma vez na Câmara Municipal, e a prova é de que quem nos governa e deveria nos representar, simplesmente ignoram nossos direitos e desprezam nossos anseios. Todos os vereadores com exceção do vereador Bira, do PT, de maneira vergonhosa e revoltante,  aprovaram   o plano de carreira dos profissionais do magistério, enviado pelo prefeito, totalmente desprovido dos benefícios que por lei devem contemplar a categoria.

 

Estes vereadores que ‘‘elegemos“ agem de forma submissa, instrumentos fundamentais no estratégico jogo político. Para o articulador, total vantagem;  para os subordinados, dentre muitos problemas, o alto estresse devido as cobranças  diretas do povo.

Atualmente, não deve  ser fácil se comportar como escudos e soldados, nesta jogada, ‘‘ o preço que se paga as vezes é alto demais‘‘, com certeza, os eleitores não são, nem serão  os únicos prejudicados.

 

Os professores de São Desidério, ao contrário de algumas pessoas, se dedicam ao trabalho com competência e ética profissional. Pela realidade financeira do município podiam ser considerados como ótimos voluntários educacionais. O FUNDEB- Fundo da Educação Básica, repassa mensalmente mais de um milhão aos cofres da prefeitura, em que 60% desse valor é para o pagamento dos salários. No entanto, são pagos 699,00, e tem professor que recebe 575,00, muito abaixo do piso nacional de 1.187,00, e ao  que coerentemente deveria pagar uma das cidades mais ricas do Brasil. Mesmo assim, diante desta injustiça, estes guerreiros da educação, são os verdadeiros responsáveis  pelo alcance do melhor IDEB- Índice de desenvolvimento educacional Brasileiro da Bahia em 2011.

 

E para conseguir o que hoje se ganha, foi preciso muita insistência da APLB sindicato,  até que o gestor concedeu um aumento de 20% à categoria, ou seja, o salário, por exemplo, de 540,00 passou para os 699,00. Não satisfeito em desvalorizar os professores, o prefeito ainda divulga nas mídias locais este aumento como se fosse justo e bom, e pra completar, apropriou-se do titulo do IDEB para se promover politicamente, o pior é que muitas das cidades do Oeste acreditam nas mentiras da propaganda desenvolvimento e cidadania.

 

Neste 31 de agosto de 2011, divergindo completamente das propagandas, em uma  ação  repudiante a atitude do poder executivo e legislativo, professores de luto levaram para as ruas sua indignação, protesto justo de cidadãos  corajosos, responsáveis por um momento inédito e histórico, o qual provou publicamente a caída do domínio político absoluto em São Desiderio.

 

Uma administração que a mais de 15 anos detém o poder, com todas as possibilidades de fazer desta  cidade, a melhor do Brasil realmente, mas, infelizmente, governa como nos tempos do coronelismo, massacrando seu povo, impedindo que este goze de seus direitos, só pode ser insana, cheia de ódio no coração, incapaz do amor próprio e muito menos ao próximo. Um governo, que prefere pagar advogados e campanhas publicitárias caríssimas ao invés de cumprir com sua obrigação, foge ao entendimento exato e compreensão humana.

 

Parabéns professores, vocês não foram derrotados como muitos hipócritas pensam, pelo contrário, hoje começou o processo árduo da vitória.

 

Professora Jacira Wanderley

Diretora da APLB-Sindicato-Regional Oeste

Top