Opções

Ache fácil

Representantes de escola debatem propostas para assembleia da categoria

Os representantes de escolas da rede municipal de Salvador se reuniram na manhã desta quinta-feira, 10, no auditório do Sinpojud, com o objetivo de discutir propostas para a continuidade da luta da categoria, que serão apresentadas em assembleia na próxima semana, com data a ser confirmada de acordo com a disponibilidade do espaço.

A reunião, convocada pela direção da APLB, contou com expressiva participação dos representantes, que debateram novas ações para a luta dos trabalhadores em Educação do município de Salvador por seus direitos previstos em lei e contra o descaso do Executivo Municipal em relação à categoria, resultado da gestão autoritária do prefeito ACM Neto.

Na abertura, a direção da APLB fez uma análise sobre o cenário político, destacando os últimos acontecimentos em nível nacional e local, conclamando a categoria para a necessidade de participar das ações aprovadas em assembleia e fortalecer a luta contra as investidas do ilegítimo governo Temer sobre os direitos dos trabalhadores.

Os representantes levarão as propostas para serem discutidas nas escolas e, em seguida,  serem apresentadas na assembleia da categoria.

Negociações

Na última terça-feira, 8 de agosto, a diretoria da APLB-Sindicato participou de nova rodada de negociação com o Executivo Municipal, representado pelo Secretário Municipal de Gestão, pela Subsecretária Municipal de Educação e assessores, que apresentou a posição de forma intransigente:

  1. Avanço de Referência automático com percepção de 2,5% para setembro;
  2. Pagamento da Gratificação de Aprimoramento a partir de setembro;
  3. Estabelecimento de 50 cotas de 20h para Licença Aprimoramento;
  4. Liberação de Licenças-Prêmio, de processos deferidos, para lactantes e aposentandos.

Segundo o secretário de Gestão, o prefeito determinou que esta seja a última reunião de negociação e que:

  • Caso a categoria não aceite, a proposta será completamente retirada;
  • Caso a categoria aceite a proposta, serão devolvidos os salários cortados em função das paralisações realizadas.

 

Top