Opções

Ache fácil

Centrais e movimento popular unificam agenda para o 10 de novembro. Em Salvador, concentração às 6 h, no Dique.

As centrais sindicais da Bahia, junto com o movimento popular, decidiram unificar a agenda de lutas para o Dia Nacional de Mobilização, que acontece em 10 de novembro. Juntas, a CTB, CUT, Força Sindical, UGT e CSP-Conlutas, mais a Frente Brasil Popular, convocam sindicatos, entidades, movimento social, movimento estudantil e a população de forma geral para as manifestações contra as reformas trabalhista e da Previdência, a redução do salário mínimo, a portaria que flexibiliza o trabalho escravo, a entrega da Amazônia ao capital internacional e o fim da Justiça do Trabalho.

Uma série de atividades estão previstas para todo o dia. Logo cedo, acontece manifestação dos trabalhadores e trabalhadoras, nos polos Petroquímico e Industrial de Camaçari. Em Salvador, também pela manhã cedo, com concentração às 6h, acontece grande ato na entrada da Estação da Lapa, na região do Dique do Tororó. Em seguida, a partir das 9h, tem caminhada do Campo Grande ao Comércio, onde acontecem protestos em frente às sedes da Justiça do Trabalho e da Previdência Social.

A escolha do dia 10 de novembro (próxima sexta-feira) se deu porque é a data que antecede a vigência da lei que alterou a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e golpeou o trabalhador e a trabalhadora. “O Dia Nacional de Mobilização será muito importante, pois marca o último dia de vigência da CLT. Dia 11 já estará em vigor a ‘deforma’ trabalhista”, afirmou  o presidente da CTB, Pascoal Carneiro.

Apesar de fazer referência à reforma trabalhista, a mobilização do dia 11 também marca posição contra às tentativas de Temer de alterar as regras de acesso à Previdência Social. “Essa também será uma reforma perversa, porque quer tirar dos mais pobres para dar para os mais ricos”, explicou. 

As centrais orientam, ainda, que manifestações pelo Dia Nacional de Luta sejam realizadas no interior da Bahia, de forma a fortalecer e ampliar ainda mais a resistência e enfrentamento ao governo.

Fonte: Portal da CTB

Notícias anteriores:

Centrais convocam sindicatos à grande manifestação, dia 10. Concentração às 6 h no Dique do Tororó.

Em plenária unificada realizada nesta terça-feira (31/10), no auditório do Sindicato dos Bancários da Bahia, as centrais sindicais, juntamente com a Frente Brasil Popular, deram início às discussões sobre o Dia Nacional de Mobilização, marcado para 10 de novembro, que prevê manifestação contra as reformas trabalhista e da Previdência, a redução do salário mínimo e o fim da Justiça do Trabalho.

Na plenária, ficou decidida a realização de um grande ato, com concentração às 6 h, no Dique do Tororó, entrada da Estação da Lapa. Em seguida, acontece caminhada do Campo Grande ao Comércio, onde acontece protestos em frente às sedes da Justiça do Trabalho e da Previdência Social.

No próximo dia 8, será realizada uma nova plenária unificada, com os movimentos sindical e popular, às 17 h, no auditório do Sindicato dos Bancários, no bairro das Mercês, para debater os últimos ajustes do Dia Nacional de Mobilização.

Será realizada, também, uma plenária do serviço público, para discutir as ações específicas dos trabalhadores e trabalhadoras da rede pública, em data a ser marcada. Os metalúrgicos e metalúrgicas, da mesma forma, realizarão atividades no Polo Petroquímico de Camaçari.

Coordenaram a plenária o presidente da CTB-BA, Pascoal Carneiro, o presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Magno Lavigne, o representante da CSP-Conlutas, Hamilton Assis, e o representante da Frente Brasil Popular, Walter Takemoto.

O dia 10 foi escolhido como data para o protesto, porque antecede o início da nova legislação trabalhista, que entra em vigor dia 11/11 e representa o maior ataque do capital contra o trabalho. 

Nesta terça, centrais fazem plenária unificada sobre o 10 de Novembro

As centrais sindicais CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), UGT (União Geral dos Trabalhadores), Força Sindical e CSP-Conlutas fazem plenária unificada, nesta terça-feira (31/10), para deliberar sobre as atividades do dia 10 de Novembro, em protesto às reformas trabalhista e da Previdência, ao trabalho escravo e contra a retirada de direitos da classe trabalhadora. A reunião acontece às 9h, no auditório do Sindicato dos Bancários da Bahia, no bairro das Mercês.

O dia 10 de novembro é um dia de luta dos trabalhadores e trabalhadoras, que marca o processo de resistência contra a reforma trabalhista, que entra em vigor no dia seguinte, 11 de novembro. São esperados protestos em todo o Brasil.

Diante dos retrocessos do governo de Michel Temer, a classe trabalhadora aproveita a data para protestar contra a política de desmonte do Estado, contra o corte de direitos, contra o trabalho escravo, contra as privatizações, contra o desemprego e o baixo desenvolvimento do país nos últimos meses.

Fonte: Portal da CTB

CTB-BA reúne sindicatos para organizar os protestos do 10 de novembro

Para organizar as manifestações do 10 de Novembro, Dia Nacional de Mobilizações, Greves e Paralisações em Defesa dos Direitos e contra a Reforma Trabalhista, da Previdência e o Trabalho Escravo, a CTB-BA realiza reunião com os sindicatos filiados, nesta terça-feira (31/10), às 9h, no Sindicato dos Bancários da Bahia, no bairro das Mercês.

A data escolhida antecede o início da nova legislação trabalhista, que representa o maior ataque do capital contra o trabalho. A posição da CTB é resistir a todo custo a essa reforma, que enfraquece e vulnerabiliza a classe trabalhadora.

 “O movimento sindical, a classe trabalhadora e os movimentos sociais precisam reagir. O dia 10 de novembro deve se converter em uma grande mobilização nacional. Para tanto, precisamos reforçar a organização e a mobilização e, assim, ocupar e ganhar as ruas de todo o Brasil. Isso irá exigir ampla participação da militância e dos trabalhadores e trabalhadoras”, afirma Adilson Araújo, presidente nacional da CTB.

Fonte: Portal da CTB

Top