Opções

Ache fácil

APLB repudia PEC do Calote de Paulo Guedes, ministro da Economia. “Não vamos permitir o calote nos Precatórios do FUNDEF”, alerta Rui Oliveira

A APLB-Sindicato legítima representante dos trabalhadores e trabalhadoras em Educação pública do Estado da Bahia manifesta nota em repúdio a ação do ministro da Economia, Paulo Guedes, de tentar “calotear” a Educação.   O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ontem  (3), em Brasília, que o governo prepara uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para estabelecer critérios e limites de pagamento de precatórios. Os precatórios são as dívidas contraídas pelos governos, em todas as esferas, quando são condenados em instância final pela justiça a pagar a pessoas físicas ou jurídicas. Mas para Rui Oliveira, coordenador-geral da APLB-Sindicato essa é uma tentativa de “dar o calote” na Educação e nos profissionais.  “Não vamos aceitar isso. Iremos articular uma frente nacional para barrar essa proposta de calote no FUNDEF. Não vamos abrir mão. Iremos lutar para garantir que o dinheiro dos precatórios chegue nos estados e conclamar toda a sociedade civil e organizada, parlamentares para dar um basta no Governo Bolsonaro. Fora Bolsonaro!”,  alertou Rui Oliveira que também é secretário da CNTE e integra a Frente Norte Nordeste pela Educação.

A APLB-Sindicato, a  Frente Norte Nordeste, a CNTE e as entidades sindicais componentes dessa luta em defesa da garantia de 100% dos recursos para a educação e com a garantia das subvinculações: 40% dos recursos para manutenção e desenvolvimento da educação e 60% para indenização dos profissionais da educação, convocam todos e todas a dizer Não ao golpe na educação.

#precatórioscaloteNÃO

 

 

 

Top