Opções

Ache fácil

APLB e CNTE convocam funcionalismo público para mobilização: “Congelamento de salário, não”. Tuitaço, hoje, às 15h, #DerrubaOveto

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) convoca todos e todas para participarem da mobilização virtual para derrubar o veto presidencial que pretende congelar salários dos/as servidores/as públicos/as. Na manhã de terça-feira (16), a CNTE enviou uma carta ao Congresso Nacional pedindo que seja pautada na Sessão Ordinária do Congresso Nacional, desta quarta-feira (17/06), a apreciação e a consequente derrubada do veto presidencial nº 17/2020 aposto ao parágrafo 6º do artigo 8º do PLP nº 39/2020, que deu origem à Lei Complementar nº 173/2020 sobre o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus (COVID-19).

A APLB-Sindicato participa desta luta, junto com a  CNTE, os movimentos sociais e os servidores públicos. “Conclamamos todos os funcionários públicos para participar ativamente desta luta pela derrubada do veto presidencial que congela os salários, vantagens e promoções, do funcionalismo público em geral brasileiro até 2022”, convoca o professor Rui Oliveira, coordenador-geral da APLB-Sindicato. 

Veja abaixo a carta na íntegra:

Carta derrubada veto congelamento carreira servidores

No período da tarde, a partir das 15h, a CNTE convoca o tuitaço #DerrubaOveto, reforçando a necessidade de parlamentares vetarem esse congelamento proposto pelo presidente da república. As exceções às medidas de congelamento das carreiras dos servidores públicos federal, estadual, distrital e municipal, aplicadas ao artigo 8º do PLP nº 39/2020, foram amplamente consensuadas na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, e é importante reforçar esse entendimento. É preciso proteger os servidores que estão e se manterão em situação de risco e de extrema dedicação ao povo brasileiro durante e após o período da trágica pandemia da COVID-19.

>> Acesse os cards e planilha de tuites para o tuitaço

Vamos continuar pressionando por justiça e reconhecimento dos/as servidores/as.

Top