Opções

Ache fácil

Em reunião com a APLB, rede municipal de Salvador define 28 de outubro como Dia de Luta, com ato em frente à SMED

 

A direção da APLB-Sindicato reuniu os trabalhadores/as da rede municipal de ensino de Salvador, nesta quarta-feira (20), para discutir as reivindicações da categoria. Estiveram presentes o coordenador geral e a vice-coordenadora da APLB, Rui Oliveira e Marilene Betros, os diretores da entidade, Marcos Barreto, Arielma Galvão, Rose Assis, os representantes de escola, Nara Carteado e Emerson Aleluia e a advogada do sindicato, Ruth Serravale.

 

A APLB denuncia a falta de estrutura nas escolas e pede o pagamento do retroativo do auxílio alimentação, assim como a atualização do benefício no mês de agosto, quando ocorreu a retomada das aulas presenciais, entre outras questões.

 

A categoria aprovou as propostas da APLB com 82,1% de votos a favor. Entre as questões colocadas está a definição do dia 28 de outubro como o Dia Municipal de Luta em Defesa da Educação, com ato público em frente à SMED, às 9h.

 

 

 

 

FOI APROVADO NA REUNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR

 

28 DE OUTUBRO, A PARTIR DAS 9 HORAS: DIA MUNICIPAL DE LUTA EM DEFESA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE E CONTRA O DESRESPEITO AOS TRABAHADORES EM EDUCAÇÃO E ALUNOS. NESSE DIA SERÁ REALIZADO UM ATO EM FRENTE À SMED 

 

ATENÇÃO!

  • O Decreto baixado pelo prefeito prevê que o feriado do dia do Servidor Público foi transferido para o dia 29/10, sexta feira. Portanto, está confirmado que o ato ocorrerá como foi aprovado na reunião geral pela maioria presente, ou seja, dia 28/10 – quinta feira;
  • Poderá haver mudança do local do ato, quando será informado em tempo hábil para a categoria;

 

PRINCIPAIS RAZÕES:

  • Não pagamento do retroativo do auxílio alimentação, assim como a sua atualização no mês de agosto, quando ocorreu a retomada das aulas presenciais;
  • Escolas com estrutura precárias para receber a totalidade dos alunos, nesse período de pandemia;
  • Salas de aula que não comportam a totalidade dos alunos mantendo o distanciamento de 1,5m;
  • Não cumprimento correto dos protocolos de biossegurança nas escolas (álcool 70%, máscaras distanciamento, etc.);
  • Falta de ferramentas de trabalho (Tablet e notebooks);
  • Ausência do quadro completo de funcionários para realizar a limpeza e a higienização nos ambientes da escola;
  • Ausência de vice-diretores nas unidades escolares;
  • Carência de professores em diversas disciplinas;
  • Falta de segurança no entorno das escolas;
  • Não pagamento da gratificação gerencial para os vice-diretores;
  • Não publicação dos direitos dos trabalhadores em educação previstos em lei, como: gratificação aprimoramento, mudanças de nível, alteração e redução de jornadas de trabalho;
  • Não publicação das aposentadorias dos professores que aguardam há anos os respectivos atos aposentadores; não liberação para aguardar a aposentadoria fora do local de trabalho; não liberação da licença prêmio dos aposentandos.
  • Alimentação escolar de baixa qualidade e pouca quantidade que é oferecida aos alunos;
  • Excesso de trabalho destinado aos professores para além da sala de aula, a exemplo de preenchimento de planilhas, como o SMA;
  • Reajuste Salarial: cumprimento do Piso Salarial, cujo percentual é de 31,3% a ser aplicado linearmente em toada tabela salarial do Magistério;
  • NÃO À PEC 32!
  • Não à PEC do Calote nos Precatórios do FUNDEF (PEC 23)
  • Pela revitalização da EJA

 

Foi também aprovado:

  1. A direção da APLB deverá solicitar formalmente uma reunião com o Procurador Geral da Prefeitura de Salvador para tratar do retroativo do auxilio alimentação. No dia da reunião, realizaremos um ato silencioso com faixas e cartazes, em frente a Procuradoria;

 

  1. Manter as negociações com executivo municipal para dar continuidade à discussão da pauta de reivindicações;

 

 

  1. Confirmadas:

 

  1. Nesse mesmo dia, às 17h30: reunião com os professores que atuam na EJA (leiam a nota específica com o resultado da reunião);

 

  1. Dia 22/10, às 10h: a reunião com os professores que atuam nas classes especiais;

                                                                                                                                   

 VAMOS À LUTA!

FORA BOLSONARO!

NÃO ÀS PECs 23 e 32!

NENHUM DIREITO A MENOS!

EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE!

 

Top