Opções

Ache fácil

REDE MUNICIPAL: CATEGORIA REAFIRMA A LUTA PELO REAJUSTE DE 12,44% E AUMENTA A POSSIBILIDADE DE GREVE GERAL – NOVA ASSEMBLEIA EM 5 DE JULHO

 

Fotos: Getúlio Lefundes 

Dando continuidade às atividades da Campanha Salarial 2018, sob a liderança da APLB-Sindicato, trabalhadores em educação da rede municipal lotaram o Ginásio de Esportes do Sindicato dos Bancários na manhã desta quarta-feira (6), em assembleia geral para discutir e colocar em votação o resultado da segunda rodada de negociação com o Executivo Municipal, ocorrida em 23 de maio.

Ao iniciar a assembleia geral, o diretor Marcos Barreto expôs sobre a atual conjuntura reafirmando o posicionamento do Sindicato com relação à greve dos caminhoneiros, enquanto entidade sindical, fazendo um chamamento à categoria para um problema que é de todos. O Sindicato avalia o governo ilegítimo de Temer  como incapaz e de absoluta incompetência para gerir o Brasil com ética e respeito aos anseios da sociedade brasileira. A greve é uma consequência dos atos irresponsáveis desse governo.

A diretora Elza Melo explicou que dos dez itens contantes na Pauta de Reivindicações, seis já têm encaminhamento, mas não houve avanço em relação às cláusulas econômicas. Diante deste cenário, os quatro pontos que ainda não têm concordância por parte da categoria foram discutidos durante Reunião de Representantes ocorrida na última segunda-feira (4), na qual o grupo concordou em levar para a assembleia geral uma pauta mínima.  Após a distribuição do informativo, a diretora Elza Melo fez a leitura das propostas que seriam colocadas em votação e decididas pela maioria em assembleia. 

Foi colocado em votação e APROVADO pela maioria em assembleia os seguintes pontos:

  1. Manutenção do Estado de Greve;
  2. Reajuste Salarial:  A categoria aprovou a manutenção do posicionamento pelo reajuste no percentual de 12,44%; 
  3. Auxílio Alimentação: Aprovar a contraproposta de percentual  de 10% a ser apresentada ao Executivo Municipal;
  4. Mudança de Nível: Insistir na posição da publicação da mudança de nível e discutir critérios para o pagamento do passivo;
  5. Eleição para Gestores Escolares: Elaborar a Ementa do Projeto do curso; Realizar reunião específica de representantes para apresentar a Ementa com o cronograma do curso para os candidatos a gestores escolares; Definir data da reunião na assembleia; Encaminhar para o Executivo que deverá aplicar o curso, conforme o Projeto apresentado; Publicação do Edital de Convocação para a eleição.

 

PROPOSTAS E ENCAMINHAMENTOS PARA O MOVIMENTO:

1 – Foi aprovado pela categoria que será instituído o DIA DO FICO NA LUTA, com paralisação de 24 horas, e que será um Ato Unificado com outras categorias de servidores. Já foi acordado com o Sindicato dos Servidores que a data será no dia 13 de junho (quarta-feira). Em breve divulgaremos mais informações e as orientações sobre este Ato Unificado. 

2 – Recesso Junino – Período de 18 de junho a  2 de julho. A direção da APLB-Sindicato orienta que a data para reposição das aulas (referente à paralisação do dia 16 de maio) seja no sábado, 16 de junho.

3 – A APLB-Sindicato estará presente no Desfile Cívico do Dia 2 de Julho gritando Fora Temer e denunciando os graves problemas que a educação vem atravessando, promovida pelo prefeito ACM Neto. 

4 – Foi aprovado pela categoria um calendário de ações para o início do segundo semestre:

  • Dia 03 de julho (retorno do recesso) – realizar reuniões, contatos com a comunidade escolar, pais, alunos, professores e funcionários, com distribuição de cartas esclarecendo a todos sobre os motivos da nossa luta;
  • Dia 4 de julho – Reunião de Representantes de Escola, à tarde;
  • Dia 5 de julho – Assembleia Geral da categoria, com a possibilidade de deflagração da greve geral.

Acompanhe a vídeo reportagem abaixo com um resumo do que ocorreu:

Após a assembleia a categoria seguiu em uma grande caminhada em direção à Praça Municipal.

 

Fora Temer, ACM Neto e seus aliados!

Venha com a gente.

Vamos na luta!

Assembleia Geral 5 de julho. 

 

 

Notícias anteriores:

ATENÇÃO TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE SALVADOR: Assembleia dia 06 de junho (quarta-feira), às 9h, no Ginásio dos Bancários

 

 

ATENÇÃO TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE SALVADOR

Assembleia dia 06 de junho (nesta quarta-feira), às 9 horas, no Ginásio dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos.

 

Por que a suspensão da assembleia do dia 29 de maio?

Diante de uma semana atípica com greve de rodoviários seguida de greve dos caminhoneiros, recebemos durante o fim de semana diversas mensagens, e-mails, telefonemas e outros contatos, solicitando que a APLB se posicionasse e orientasse a categoria, rede estadual e redes municipais (da capital e interior), sobre a suspensão das aulas, em função do caos instalado no país, motivado pela greve dos caminhoneiros.

Diante disso, a APLB emitiu uma nota oficial orientando a todos que suspendessem as aulas na segunda e terça (28 e 29), pelas dificuldades de transporte e a situação de insegurança que todos (professores, alunos e funcionários) iriam encontrar para chegar às suas UE. E concretamente ocorreram as dificuldades!

Diante do quadro instalado, foi de conhecimento público que diversas entidades tiveram suspensas suas atividades. Desde as aulas em quase toda a rede particular, universidades, o Ministério Público, enfim, a cidade ficou esvaziada e com o funcionamento precário, sobretudo nos bairros periféricos e locais de difícil acesso.

Também havia agendado para segunda (28), pela manhã a Audiência Pública sobre a L.O.M., e à tarde uma reunião com sindicatos de servidores municipais de outras categorias.  Os dois compromissos foram suspensos aguardando as agendas dos respectivos atores e os seus respectivos entendimentos sobre o cenário político, social e econômico.

As escolas que insistiram em funcionar, o fizeram com poucos alunos e professores;

Quando a APLB postou o aviso de suspensão das aulas, não houve nenhuma reação de desagrado. Ao contrário, ocorreram inúmeras manifestações de apoio!

Em virtude dessa situação, naturalmente seria inadequado manter a reunião de representantes, pelos mesmos motivos pelo qual recomendamos a suspensão das aulas, e, consequentemente, a assembleia também foi suspensa pelo cenário de incertezas quanto às possibilidades de deslocamento. Não houve nenhuma manifestação contrária!

Na terça-feira (29), se desenha uma certa normalidade na cidade, mas há escolas que ainda não estão funcionando adequadamente.

Apesar de o prefeito afirmar na imprensa que tudo funcionava normalmente, a realidade foi outra, inclusive foi criticado por todos. Ademais, o sindicato avalia a situação com lentes diferentes das usadas pelo Executivo.

Sobre a remarcação da assembleia temos a dizer o seguinte:

Se, porventura, toda a rede funcionar normalmente nesta terça (29 de maio), a semana encerra amanhã, pois teremos o feriadão pela frente;

A assembleia é precedida por reunião de representantes, da qual se elabora a resposta das unidades sobre a proposta do Executivo a ser deliberada pela categoria, na assembleia.

Portanto, a assembleia não pode ser convocada e realizada de forma açodada! Se assim for, também haverá a crítica porque não dará tempo para liberar os alunos, conversar com os pais, etc. Afinal, a nossa prática é o diálogo com a comunidade escolar, não é “mandar recado”. Ademais, sempre prezamos por uma análise de conjuntura para balizarmos nossas ações. Não se faz movimento por “espontaneísmo”. Nossa ação deve ser estrategicamente pensada para cumprir seu propósito.

Portanto, entendemos que seja assertivo e coerente é reprogramar a reunião de representantes, para assim realizarmos uma assembleia que seja efetiva na análise dos últimos fatos e, consequentemente, seus encaminhamentos.

 

AGENDA:

30 DE MAIO – Reunião com outros sindicatos de servidores municipais

04 DE JUNHO – Reunião de representantes, Auditório da APLB, às 14 horas

06 DE JUNHO – Assembleia Geral, no Ginásio dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, às 9 horas

 

ESTAMOS NA LUTA!

VENHA COM A GENTE!

Top