Opções

Ache fácil

APLB SE SOLIDARIZA COM DOCENTES DA ESCOLA THALES DE AZEVEDO E REPUDIA ATAQUES DE GRUPOS DA EXTREMA DIREITA

A APLB-Sindicato, legítima representante dos trabalhadores e trabalhadoras em Educação vem a público manifestar toda a sua solidariedade e apoio jurídico aos docentes da Escola Estadual Thales de Azevedo por tentativas de intimidação, coação e pressão psicológica por grupos de extrema direita que tentam cercear a livre expressão e tumultuar aulas e algumas atividades propostas pelos professores e professoras.

O departamento jurídico da APLB foi acionado atendendo o apelo de um grupo de professores do referido colégio que esteve na sede do Sindicato e relatou observar atitudes inamistosas e de perseguição de uma determinada estudante contra uma das professoras de Filosofia por conta da mesma apresentar temática nas aulas referentes a questões de gênero, racismo, assédio, machismo, diversidade, entre outras.

A comunidade escolar foi tomada de surpresa ao tomar conhecimento de que a referida aluna e sua genitora apresentou notícia crime na DERCCA contra a professora de Filosofia. Após receber a intimação, a professora encontra-se extremamente abalada emocionalmente, necessitando inclusive de ser hospitalizada para atendimento médico de urgência. Motivo pelo qual estamos preservando sua identidade.

Para o coordenador-geral Rui Oliveira é inadmissível esta perseguição aos docentes. “Infelizmente são ações de grupos ligados à pessoas de extrema direita, que desrespeitam e ferem a liberdade de cátedra. Não vamos permitir que isso aconteça. Vamos dar todo o apoio para a comunidade escolar do Thales de Azevedo, principalmente à professora que foi intimada, bem como disponibilizar nossos advogados para acompanhá-la no dia da audiência. Vamos continuar denunciando toda a forma de abuso e perseguição”, destacou Rui. Ele ainda se mostra bastante preocupado com as relações internas entre os alunos após o ocorrido. Para a APLB o ambiente escolar deve ser preservado das divergências políticas. A disseminação de Fake News e discussões acirradas e desrespeitosas, como adotadas pela extrema direita, não podem fazer parte do cotidiano escolar, pois os impactos podem ser muito graves.

Rui Oliveira esteve nesta quinta-feira (18), na escola Thales de Azevedo, com um representante do Jurídico, José Lucas Sobrinho e demais diretores, como João Santana e Delsuc Machado, para apurar as denúncias e apoiar os docentes. Ficou estabelecido que a unidade escolar irá elaborar um documento que a APLB divulgará amplamente na imprensa e para a Secretaria de Educação estadual.

Ainda segundo informações, no mês de agosto foi realizado um seminário online pela escola e após o evento um grupo de estudantes e seus responsáveis expediram uma nota atacando os professores e palestrantes. Em outra ocasião, durante uma aula remota da disciplina de Inglês, a mãe de uma estudante, a mesma que deu entrada na queixa contra a professora de Filosofia, invadiu o espaço da aula online para inquirir e exigir explicações sobre a temática, que segundo ela seria inadequada por se tratar de feminismo.

A direção da APLB-Sindicato lamenta profundamente as ocorrências e reitera o apoio jurídico e psicológico à professora, exigindo a apuração dos fatos ocorridos, bem como também irá se articular para denunciar nos veículos de comunicação e nas Casas Legislativas, como Câmara de Vereadores e Assembleia Estadual, exibindo faixas e cartazes pedindo total solidariedade a todos os profissionais em Educação.

 

Veja abaixo a nota de agravo da escola Thales de Azevedo:

Nota de Agravo_C.E._Thales_de_Azevedo

 

Top