Opções

Ache fácil

A LUTA CONTINUA! A ORDEM É AUMENTAR A MOBILIZAÇÃO E FORTALECER A GREVE!

Crédito das fotos: Getúlio Lefundes|APLB-Sindicato

A unidade, o espírito de luta e a resistência marcaram o clima da assembleia desta quarta-feira, 11, que decidiu por esmagadora maioria (apenas três abstenções) manter a greve por tempo indeterminado na rede municipal de Salvador. A posição dos educadores municipais, liderados pela APLB-Sindicato, foi uma resposta firme da categoria diante da falta de avanço nas negociações da pauta de reivindicações da Campanha Salarial com o Executivo Municipal.

A assembleia contou com o apoio e participação de dirigentes do Sindseps e da CTB e também dos vereadores Aladilce Souza (PCdoB), Silvio Humberto (PSB) e Hilton Coelho (PSol). 

O Ginásio dos Bancários foi superlotado pelo grande número de trabalhadores em educação que compareceram à movimentada assembleia. Após os informes sobre o resultado da reunião de negociação, ocorrida na noite de terça-feira (10), diretores do sindicato e integrantes da base se pronunciaram fazendo avaliação e críticas à administração do Prefeito ACM Neto, e à postura do secretário da educação, Bruno Barral, que se mantém intransigente em realmente dialogar e atender às demandas da categoria.

Em seguida a categoria votou pela manutenção da greve, deflagrada na manhã de hoje com força total. A ordem é fortalecer ainda mais o movimento e, para tanto, a assembleia aprovou a realização de caravanas por polo, que acontecerão a partir desta quinta-feira, 12, para ampliar a mobilização e avaliar a consolidação da greve na rede.

Num claro sinal do êxito do movimento, o Executivo Municipal recebeu a direção da APLB, ainda hoje, ao final da assembleia, para mais uma rodada de negociação. Vale lembrar que a greve foi aprovada na última assembleia, realizada no dia 05 de julho, em razão da falta de avanço nas negociações da pauta de reivindicações, entregue ao Executivo Municipal desde o mês de abril.

Vejam as propostas de atividades que foram aprovadas na assembleia desta tarde:

QUINTA E SEXTA (12 E 13): A realização de Caravanas por Polo nas portas das escolas (com carro de som, cartas e apitaço), nos três turnos;

QUINTA-FEIRA (12): Reunião com o Fórum de Gestores;

SEGUNDA-FEIRA (16): Caminhada – Ato conjunto com os servidores do Sindseps. Concentração na Rótula do Abacaxi, às 7h. Caminhada em direção ao Shopping da Bahia (antigo Iguatemi); 

TERÇA-FEIRA (17): Assembleia Geral pela manhã, local a ser definido. Reunião com o Comando de Greve pela tarde.


Notícias anteriores:

A luta é a nossa marca! Mantida a Greve na Rede Municipal de Salvador – Reunião do Comando de Greve define propostas para a assembleia desta quarta-feira (11)

A deflagração da GREVE dos trabalhadores em Educação da Rede Municipal de Salvador foi iniciada na manhã desta quarta-feira (11), com força total! Em um auditório lotado pelo Comando de Greve, formado pela direção da APLB-Sindicato e dos representantes de escola, foram discutidas as estratégias e propostas que serão levadas para a aprovação da categoria na Assembleia Geral que será realizada na tarde desta quarta, às 14h30, no Ginásio de Esportes dos Bancários. A greve foi aprovada na última assembleia realizada  na quinta-feira, 05 de julho, em razão da falta de avanço nas negociações da pauta de reivindicações da categoria, que está em Campanha Salarial.

As negociações não avançaram, a pauta salarial não foi atendida e a greve está mantida. A reunião do Comando de Greve definiu as seguintes propostas de atividades que serão apreciadas para votação em assembleia desta quarta-feira (11), às 14h30 no Ginásio de Esportes dos Bancários:

  • Nesta QUARTA-FEIRA (11): Após a assembleia, saída em caminhada até a Estação da Lapa para panfletagem;
  • QUINTA E SEXTA (12 E 13): A realização de Caravanas por Polo nas portas das escolas (com carro de som, cartas e apitos), nos três turnos;
  • QUINTA-FEIRA (12): Reunião com o Fórum de Gestores;
  • SEGUNDA-FEIRA (16): Caminhada – Ato conjunto com os servidores do Sindseps. Concentração na Rótula do Abacaxi, às 7h. Caminhada em direção ao Shopping da Bahia (antigo Iguatemi). 
  • TERÇA-FEIRA (17): Assembleia Geral pela manhã, local a ser definido. Reunião com o Comando de Greve pela tarde.

ENTENDA OS MOTIVOS DA GREVE:

A data base para o reajuste salarial é maio e desde abril a APLB-Sindicato, entidade representativa da categoria, entregou a pauta de reivindicações e reuniões de negociação têm acontecido entre o Executivo Municipal e a direção da APLB. Entretanto, como nenhuma resposta positiva foi apresentada, não restou alternativa, senão a greve! 

A categoria aponta como principais motivos para o movimento paredista:

  • A categoria há três anos não tem reajuste salarial, nem reajuste no auxílio alimentação;
  • Há quatro anos que os direitos dos trabalhadores em educação vêm sendo desrespeitados e um exemplo disso, é a não concessão de mudança de nível. O que significa que não estão recebendo salários de acordo com a sua qualificação;
  • Além disso, o prefeito não convoca eleição para diretor de escola, que deveria ter acontecido desde o ano passado, emperrando o processo democrático nas escolas!

Outro ponto fundamental é a luta pela melhoria das condições de trabalho.  Muitas escolas em Salvador se encontram em precárias condições de conservação e manutenção e, em grande parte, sofrem pelos transtornos causados pelo calor excessivo ou, quando chove, ocorre suspensão das aulas porque suas dependências apresentam infiltrações, alagamentos, transbordo na rede de esgoto e outros sintomas da inadequação da estrutura, inviabilizando a realização de toda e qualquer atividade na escola. Além disso, faltam professores em diversas escolas, tirando o direito do acesso à educação de muitas crianças.

Carta à comunidade

Em carta à comunidade escolar e a toda a sociedade soteropolitana, os trabalhadores em Educação de Salvador pontuam que priorizar a educação, realizar concurso para professores, suprir as escolas com materiais indispensáveis à realização do trabalho pedagógico, atender a reivindicação dos professores, é responsabilidade de um prefeito que deveria ser comprometido com a sua cidade.

“Mas, o prefeito prefere seguir o modelo de seu aliado Temer a cuidar do povo de Salvador: vem retirando direitos dos trabalhadores, aumentando o desemprego, vendendo as nossas riquezas. Por isso, exigimos que o Prefeito de Salvador trate a educação como prioridade e atenda as nossas reivindicações”, reafirma a APLB-Sindicato, legítima representante dos trabalhadores em Educação no documento.

VAMOS À LUTA COM UNIDADE E RESISTÊNCIA!

Fotos: Getúlio Lefundes e Adriana Roque

Top