Opções

Ache fácil

“A flor da vida não pode ser alvo do câncer” – palestra incentiva o auto-exame da mama

“Se a gente não se tocar a vida passa. E nós não podemos deixar ela passar”. A afirmação é da mastologista Karla Kalil e se refere ao auto-exame da mama, um dos métodos de detecção do câncer de mama, destacada durante palestra promovida pela APLB-Sindicato na manhã desta terça-feira (30), no auditório da entidade, localizado na rua Francisco Ferraro, em Nazaré.

O objetivo do Sindicato foi abraçar a Campanha Nacional Outubro Rosa que surgiu como uma campanha mundial para o diagnóstico do câncer de mama. A médica, que também é especialista em câncer de mama, alerta que a mulher deve se conhecer mais. “Não foi escolhido um dia, mas um mês inteiro para que a mulher pudesse ter noção de que ela deve se cuidar. Se ela se auto-examina diariamente, pode se conhecer mais e por isso adquire maiores chances de descobrir algo diferente em seu próprio corpo”, explicou a Drª Karla.

De acordo com a diretora da entidade Gercy Rosa, articuladora do evento, o assunto é de extrema importância e exatamente por isso, o Sindicato não poderia deixar de atuar em defesa da categoria que tem o público feminino como maioria.

 Reflexão e luta

 “De maneira alguma o Sindicato poderia deixar de apoiar o Outubro Rosa. Uma campanha desta magnitude implantada em rede nacional e que assim como em outros países, alcançou o Brasil”, pontuou. Na abertura da palestra Gercy procurou destacar a necessidade de reflexão em torno da doença. A diretora chamou a atenção, inclusive, para os diversos casos de companheiras que já foram acometidas pela doença, outras que ainda atravessam este momento difícil e casos até que chegaram a óbito.

Mas, ao contrário do que se imagina, o assunto não interessa apenas ao público feminino. Prova disso é que a palestra contou com diversas presenças masculinas. Segundo o professor da Uneb, Sérgio Henrique da Conceição, a iniciativa do Sindicato é valorosa, pois um evento deste tipo é importantíssimo na luta contra a doença que tem se alastrado e causado muitas mortes. “Saúde é informação. Acho que uma palestra como essa ajuda a enriquecer o conhecimento sobre a doença e nós homens enquanto maridos, filhos, amigos e irmãos podemos ajudar a alertar as mulheres”, explicou.

A opinião do professor é compartilhada pela professora Dinae Lúcia Pereira. “Achei a idéia muito boa, excelente! Acho que quanto mais informação, melhor. Me sinto gratificada pelo Sindicato se preocupar desta maneira conosco. Realizo a mamografia todos os anos, mas acho que aqui vou aprender mais sobre a doença”, explicou.

Preservação da vida

 A especialista em câncer da mulher, que também é ginecologista esclareceu pontos importantes como prevenção, formas de detecção e tratamento, auto-exame, mitos e verdades, entre outros. Estudos comprovam que os níveis de esclarecimento usados como ferramenta para prevenção e detecção da doença aumentam consideravelmente as chances de cura.

Karla Kalil informou que hoje no Brasil existem 40.000 (quarenta mil) casos da doença e destes, 4.000 pessoas morrem. E de acordo com ela, os homens também são atingidos. “A cada 10 mulheres, um homem tem câncer de mama”, alertou.

A palestrante pontuou alguns fatores de risco como sexo, idade, hereditariedade, mulheres que nunca amamentaram e tabagismo, além de outros. Em relação aos sintomas, nódulo ou caroço; retração da pele; eritema; alteração da aréola e ulceração. Importante destacar que na suspeita de qualquer alteração na mama, a mulher deve procurar o mastologista. A médica também pontuou que mulheres acima de 40 anos devem fazer a mamografia uma vez por ano. Segundo ela, este exame pode detectar um tumor de apenas 1 cm.

Ao final da palestra a médica sanou dúvidas do público e foi servido um lanche. A vice-coordenadora da APLB-Sindicato, Marilene Betros também prestigiou o evento.

Fotos: Getúlio  Lefundes

 

Top