Opções

Ache fácil

Temer tem muito o que temer: cinquenta mil pessoas nas ruas de Salvador no dia que o Brasil parou contra as reformas


Fotos: Getúlio Lefundes e Walmir Cirne

Já diz o velho ditado popular, “uma andorinha só não faz verão”. Mas, com certeza, se depender da luta da APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia e das cinquenta mil pessoas que caminharam em protesto, nas ruas de Salvador, contra as reformas do famigerado Governo Temer, a união do povo vai conquistar o que já deveria ter acontecido: o Fora Temer!

O Dia Nacional de Mobilização realizado nesta sexta-feira, 31 de março, paralisou as atividades em todos os estados do Brasil. Em Salvador, o grande ato de protesto partiu do Campo da Pólvora em direção ao Forte do Barbalho e reuniu mais de cinquenta mil pessoas entre trabalhadores em educação das redes estadual e municipal, caravanas das delegacias regionais do interior do Estado da Bahia e de diversas outras categorias. A caminhada também marca os 53 anos do golpe militar, deflagrado em 31 de março de 1964. A APLB-Sindicato em conjunto com as principais centrais sindicais fizeram um grande barulho e chamaram a atenção da população para as reformas que estão tentando infligir à população.

 O coordenador-geral da APLB-Sindicato, professor Rui Oliveira, reafirmou que é desta forma que se conseguirá impedir as tentativas nefastas de retirada de direitos consagrados dos trabalhadores. Ele destacou a participação dos trabalhadores em educação nas manifestações que têm colocado a Bahia em destaque contra as medidas impostas por Temer. “A Bahia está de parabéns! Quero agradecer principalmente aos trabalhadores em educação, essa categoria aguerrida. Mais uma vez, fomos destaque nas manifestações de ruas. Nós fazemos história! A Educação foi a única categoria que parou na Bahia toda. Já paramos onze dias contra as reformas ilegítimas de Michel Temer. Professor é para brilhar e não para morrer de fome. Mas, Precisamos continuar lutando contra as reformas da Previdência e trabalhista. Agradeço também a unidade na luta, aos companheiros de todas as centrais sindicais e de todas as correntes. Este ato é preparatório para a Greve Geral no dia 28 de abril. Vamos continuar fortalecidos na unidade e seguindo com a certeza de que vamos conquistar a vitória. Viva a luta dos trabalhadores! Rumo à Greve Geral!”.   

A participação da APLB-Sindicato na caminhada foi um diferencial. Com faixas, cartazes, pirulitos caricaturados com o rosto do deputado Federal Arthur Maia, relator do projeto de reforma da Previdência, do presidente Michel Temer, além de Antônio Imbassahy e o deputado José Carlos Aleluia. A percussão ficou por conta do “Hit da Reforma da Previdência”.

 Ao longo da caminhada em protesto às medidas e reformas do governo Michel Temer, os manifestantes convocavam a participação das pessoas que acompanhavam o ato da janela dos prédios e residências existentes no percurso. O público foi diverso, composto por trabalhadores, representantes e membros de centrais sindicais, estudantes, jovens, crianças, adultos e idosos.

 A APLB-Sindicato e o Fórum das Centrais Sindicais ( CTB – CUT – UGT – CGTB – Força Sindical – Intersindical – CSP-Conlutas – CSB),  convoca à população a parar no dia 28 de abril contra o desmonte da previdência, da CLT e a terceirização irrestrita e generalizada que precariza e flexibiliza os direitos sociais e trabalhistas.

  

 

 

 

 

 

 

 

 

Top