Opções

Ache fácil

Quem luta conquista! Manifestação na SMED pressiona e secretário resolve discutir com a APLB sobre o Fechamento de Escolas Municipais

Como já diz o bordão: “A união faz a força”. E foi o que aconteceu nesta manhã de quinta-feira (14), quando a direção da APLB-Sindicato promoveu o Dia Municipal de Luta Contra o Fechamento de Escolas e Desativação de Turmas da Rede Municipal de Salvador e reuniu em uma grande manifestação professores, pais e mães de alunos para protestar em frente à Secretaria de Educação Municipal (SMED), na Garibaldi.

Teve faixas, cartazes criados pelos alunos, apitos, bandeiras, músicas aguerridas e muita disposição para lutar!

A diretora Elza Melo, representando a APLB-Sindicato, insistiu para ser recebida e falar sobre o assunto com o secretário de Educação. Elza não cedeu até que o secretário se comprometeu em agendar, o mais rápido possível, uma reunião com a direção da APLB e juntos buscarem soluções para evitar as arbitrariedades que vem ocorrendo com as mudanças que estão sendo implementadas nas escolas da rede municipal de ensino de Salvador.

 A APLB-Sindicato entende que a gestão pública deve ser democrática de modo que a população possa ser ouvida e participe das decisões que afetarão suas vidas. Por isso, a manifestação foi vitoriosa, mas a luta permanece e a APLB atuará sempre em defesa da categoria e lado à lado da população buscando uma educação pública laica e de qualidade.

 

 

Notícias anteriores:

A APLB convoca! 14 de dezembro – Dia Municipal de Luta Contra o fechamento de escolas e desativação de turmas da Rede Municipal de Ensino de Salvador

A comunidade escolar da rede municipal de ensino de Salvador vem sofrendo com o drama da desativação de escolas e fechamento de turmas que afetará todas as modalidades e segmentos do ensino público municipal.

Esta ação deriva da ausência de entendimento da gestão municipal de Salvador que enxerga Educação apenas por números, deixando de respeitar as singularidades desta obrigação constitucional.

Não podemos aceitar que uma cidade na qual faltam mais de 100 mil vagas para Educação Infantil, promova um amplo programa de extinção de escolas e turmas, afetando dezenas de escolas. A real situação é que a oferta gira em torno de pouco mais que 20 mil vagas para a educação infantil e, por conta disso a matrícula é feita por sorteio, ou seja, a criança que for ”premiada” estuda. Dados do IBGE apontam que há uma legião de 900 mil jovens e adultos classificados como analfabetos funcionais em Salvador.

Numa conjuntura política de precarização da renda com o trabalho intermitente, da retirada de direitos, a gestão municipal, ao fechar escolas e desativar turmas, especialmente a Educação de Jovens e Adultos, está contribuindo para o agravamento das diferenças e a eventual marginalização da população.  O poder público municipal deve oferecer, sim, educação de qualidade para a população de Salvador!

Diante do exposto, convocamos a categoria, a população de Salvador, líderes comunitários e todos os que serão afetados por não terem a escola próxima a sua residência a se unirem no dia municipal de luta contra o fechamento de escolas, COM UM GRANDE ATO NA FRENTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, DIA 14 DE DEZEMBRO, ÀS 9 HORAS PARA PROTESTAR CONTRA ESTA ARBITRARIEDADE.

 A APLB-Sindicato entende que a gestão pública deve ser democrática de modo que a população possa ser ouvida e participe das decisões que afetarão suas vidas.

JUNTE-SE A NÓS, VENHA PARA A LUTA CONTRA A RETIRADA DE MAIS ESTE DIREITO!

 

DIA MUNICIPAL DE LUTA  

CONTRA O FECHAMENTO DE ESCOLAS E DESATIVAÇÃO DE TURMAS.

14 DE DEZEMBRO, 9 horas.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (Avenida Garibaldi)

Top