Opções

Ache fácil

PROFESSORES TEM DIAS CORTADOS EM UAUÁ SEM JUSTIFICATIVA LEGAL

A APLB-SINDICATO/NÚCLEO UAUÁ, Sindicato dos Trabalhadores em Educação, vem através desta REPUDIAR a forma arbitrária e ditatorial com que a administração municipal de Uauá (prefeito Lindomar Dantas/PCdoB), vem tratando os profissionais em educação do município. 

Não bastasse a retirada das vantagens de um grupo de professores nos meses de janeiro e fevereiro, sem nenhum ato justificável, a gestão agora CORTA TRÊS DIAS DOS PROFESSORES QUE ESTAVAM EM PLENO GOZO DO SEU RECESSO JUNINO (UM DIREITO INALIENÁVEL ASSEGURADO PELO ARTIGO 45 DA LEI MUNICIPAL Nº431, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010 – ESTATUTO DO MAGISTÉRIO).

Ao entrar no recesso junino do corrente ano, no dia 21, os professores foram cientes de que retornariam no dia 06 de julho, depois de transcorrido o tempo que emana da LEI de 15 (QUINZE) DIAS, que sempre foi RESPEITADO. Porém, no decorrer, os professores foram pegos de surpresa com uma nota de carro de som informando que os mesmos teriam que retornar no dia 03 de julho (o que perfazia apenas 12 dias) e boa parte dos professores não voltaram.  A direção do sindicato enviou ofícios com base na lei. Mas nada adiantou, não teve nenhuma resposta. A resposta veio AGORA NO MÊS DE AGOSTO COM OS CORTES.

A direção da APLB-UAUÁ tem tentado de várias formas marcar reunião com o prefeito para discorrer sobre assuntos de interesse da categoria, inclusive sobre algumas situações que entende não ser condizente com a legislação. Porém, não obtém nenhuma resposta, MESMO TENDO FEITO PEDIDO DE INTERVENÇÃO DO LÍDER DO GOVERNO NA CÂMARA, O SR. EMERSON MORAIS. Ratificando que, mesmo diante do cenário de vaidades, revanchismo e falta de profissionalismo, a direção tem enviado várias notificações, relatos (oficializados) à gestão (Prefeito, Secretário de Educação e de Finanças) sobre os assuntos de interesse da categoria. Como não está tendo êxito, está recorrendo ao PODER JUDICIÁRIO.

O coordenador, Francisco-Prolepses externou: “Olha, nada do que está acontecendo aqui, é novidade pra gente (direção). Nós tivemos a certeza de que essa seria uma administração desastrosa pra gente, quando no debate com os professores no período eleitoral, essa Administração não se comprometeu integralmente com o termo de compromisso apresentado pela categoria (a categoria dando sugestões, expondo os anseios para com a pasta). Pelo contrário, foi o único dos candidatos, à época, a menosprezar o encontro e desqualificar o termo de compromisso. Ali, não só nós, como alguns professores, tivemos a certeza do futuro que teríamos, e está se confirmando. Somos preparados pra luta. Temos um sindicato forte. E estamos usando todas formas possíveis para defender o direito dos nossos filiados, que vivem o maior RETROCESSO DOS ÚLTIMOS ANOS. Ratificando que estamos abertos ao diálogo, como sempre. Prova é que enviamos ofícios solicitando reunião com o gestor e não obtivemos respostas. Avante!”

ASCOM: APLB-UAUÁ

 

Top