Opções

Ache fácil

Nivaldino Felix “500 anos de extermínio programado do povo negro”

A ideia de que existe um extermínio programado do povo negro torna-se verdade. Este extermínio programado começa acontecer a partir da travessia dos navios negreiros da África para o Brasil, quando milhares de negros  ficavam doentes e – como o navio  precisava diminuir a carga em função do mar revolto – os negros eram jogados no mar. Segundo alguns historiadores, nesse período de escravidão foram mais de um milhão de homens e mulheres vitimas desse genocídio.

Durante o regime escravagista, os escravos tinham prazo para ficar vivo, depois de 60 anos homens e mulheres, eram abandonados como cachorros sem donos, isto quando tinham sorte de chegar a esta idade, pois a média de vida era de, no máximo, 40 anos, em função do estafante trabalho, castigos e humilhações proporcionados pelos escravagistas.

Os escravos eram máquinas vivas, através de sua mão de obra é que girava a economia da colônia e depois do império. Do sangue e suor  dos nossos antepassados, tanto no campo, quanto na cidade. Em todo ciclo, quem gerou a economia com sua força produtiva viva foi o escravo, nas áreas urbanas e rurais: nas construções dos prédios suntuosos dos nobres parasitas, na construção de estradas da colônia. Além dos parasitas do Brasil, havia os  parasitas de Portugal, já que a metade da riqueza era mandada para Europa, no sentido de  sustentar as cortes da França e Inglaterra principalmente.

O extermínio programado continuou mesmo depois do fim da escravidão institucional, em 1888,  já que milhares de negros foram abandonados à sua própria sorte, não receberam nenhuma compensação ou indenização. Daí  vem a origem da mendicância, do surgimento das favelas, do maior número de negros nos presídios e da violenta desigualdade social e do racismo violento e covarde.

Em nossos dias, vemos a maioria dos negros desempregados, a falta de assistência de saúde, a péssima qualidade da educação pública, que só é boa quando para ricos.

Muitas pessoas pensam que extermínio programado do povo negro se limita  à extinção física imediata do individuo, mas não é  só isso , esta é uma forma de eliminação que vem principalmente por parte da violência policial, que atinge com certa contundência os jovens negros.

O extermínio programado do povo negro é uma realidade, que precisa ser combatida pelas organizações  do movimento negro. Era preciso que todos os negros recebessem uma indenização pelo que seus antepassados fizeram para a construção desse país. Depois da Segunda Guerra Mundial  muitos judeus foram indenizados pelo governo alemão em função  do  extermino de milhares de homens e mulheres. Aos negros, no Brasil, jamais se concretizou a propalada indenização pelo sofrimento desse povo.

VIVA  A  SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA!

Nivaldino Felix

Diretor de Iimprensa da APLB-Sindicato

Escritor, pesquisador e militante da causa negra   

 

Top