Opções

Ache fácil

4º Congresso da CTB refletirá sobre momento político do país

Sindicalistas de todo o Brasil e do mundo estarão reunidos em Salvador, entre os dias 24 e 26 de agosto, para participar do 4º Congresso Nacional da CTB. O evento marca também os dez anos de vida da central, fundada em 12 de dezembro de 2007.

O Congresso vai acontecer no Gran Hotel Stella Maris e deverá reunir 1,2 mil delegados e delegadas de diversas categorias. Para Pascoal Carneiro, presidente da CTB Bahia, a escolha da cidade sede do evento é o reconhecimento do esforço da contribuição que a Bahia deu à CTB desde a sua fundação.

A delegação baiana contará com 350 delegados e delegadas. “Vêm dos grandes e pequenos municípios. São professores, operários, trabalhadores do comércio e do serviço público das três esferas, ou seja, é uma grande aliança do campo e da cidade”, diz Carneiro.

No entanto, apesar do caráter comemorativo da data, Carneiro reconhece que o cenário é nebuloso e a discussão a ser travada será fundamental para municiar os dirigentes para as batalhas vindouras.

Ato político de resistência contra a ofensiva neoliberal

Entre os assuntos que serão debatidos, destaque para os temas: a reforma trabalhista, a da previdência e o golpe do capital contra o trabalho, a América Latina e os ataques aos governos progressistas mais as contrarreformas e os desafios do movimento sindical. 

O 4º Congresso Nacional irá contemplar toda a representatividade nacional e mundial da CTB. A realização do congresso, neste cenário conturbado e hostil à classe trabalhadora, será um ato político de resistência, unidade e força contra a brutal ofensiva neoliberal que vem atacando direitos sociais e trabalhistas no país.

A programação inclui, na abertura, um seminário internacional, que trará ao país dirigentes sindicais de diversos países para debater a conjuntura e compartilhar as diferentes lutas políticas e sindicais em curso pelo mundo. Nos outros dois dias, o foco será no debate de conjuntura, balanço das atividades e elaboração de um documento e de um plano de luta. Personalidades públicas ilustres também darão sua contribuição no debate.

“Estamos convencidos que, marchando com unidade, clareza e consciência, o movimento sindical, a classe trabalhadora e as forças progressistas reunirão as condições necessárias para relançar um novo projeto nacional de desenvolvimento fundado na valorização do trabalho, na democracia e na soberania nacional”, afirma o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo.

 

Top